Como fazer uma proposta de curso [Guia Definitivo] Têmpora Criativa Espaço colaborativo de artes

Como fazer uma proposta de curso [Guia Definitivo]

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Envie por e-mail

Imagine a seguinte situação: você acabou de ser aceito para ministrar um curso na instituição que você tanta sonhava. Os diretores adoraram a sua ideia, sua didática e estão te dando todo o apoio necessário. No entanto, antes de baterem o martelo, eles querem que você coloque a sua ideia no papel. Tudo perfeito, não fosse um pequeno detalhe: você não sabe como fazer uma proposta de curso.

Calma, não tema! Nós sabemos que todo professor passa por isso e estamos aqui para ajudá-lo a transformar esse emaranhado de ideias na sua cabeça em uma proposta organizada e irresistível, que conquistará tanto os alunos quanto os seus parceiros de negócios.

Este guia definitivo de propostas de curso é distribuído em tópicos. Leia-os em ordem ou navegue à vontade entre eles.

Comece por aqui sua proposta de curso

Escreva todas as suas ideias

É muito importante que você tenha clareza sobre os aspectos do seu curso, desde a ideia inicial até a forma como pretende trabalhar durante as aulas – e a melhor forma se organizar é escrevendo.

Aqui na Têmpora, nós valorizamos muito a escrita como base para todas as nossas ações. É através dela que reconhecemos a nós mesmos, os nossos desejos, fraquezas e forças, aprimorando nossas atividades.

É muito comum que os professores saibam expressar suas ideias através da fala, mas tenham dificuldade em contá-las através da escrita. Se esse for o seu caso, comece colocando no papel frases soltas, como em um brainstorming, de tudo o que você imagina para o seu curso.

Com as ideias fora da sua cabeça, você perceberá de forma natural as que funcionam e as que são descartáveis, abrindo caminho para, aos poucos, formatar sua proposta de curso.

Seja sucinto e objetivo

Depois de tornar visíveis as suas ideias, é hora de começar a limpeza. Lembre-se sempre que o seu objetivo é apresentar uma proposta de curso para alguém. Seja breve. Por mais que você queria contar ao mundo nos mínimos detalhes com o seu curso funciona, selecione apenas o que for mais importante para dizer.

Pergunte-se “de tudo o que escrevi, quais são os tópicos mais importantes para o meu público?” e atenha-se a eles. Coloque-os no início do texto, na apresentação do curso. Como jornalistas, trabalhe sempre com a pirâmide invertida: com as informações mais importantes no início e as menos relevantes no fim.

Tenha um tema claro

Ser focado é a melhor atitude de um professor, por isso, tenha clareza sobre qual tema você quer trabalhar no seu curso. 

Por mais que o nome do seu curso seja genérico, como “aprenda a escrever uma carta”, os conteúdos escolhidos por você na hora de ministrar as aulas devem ter uma lógica, seguir uma trilha da qual você conhece cada pedra e as recompensas no final.

Ao colocar-se como professor, você é o guia, o exemplo. É aquele que já passou pela mesma experiência e quer partilhar os aprendizados com os outros. Portanto, para ser professor, não é preciso ter mais conhecimento que alguém nem ser mais velho. Ser professor é conhecer o caminho e estar disposto a partilhar os atalhos com os alunos.

Conheça os seus limites

Ser professor também não tem nada a ver com dom. Muitas vezes, o desejo de partilhar não vem acompanhado com uma boa oratória – e está tudo bem. E é aqui que entra o autoconhecimento.

Talvez você seja tímido, tenha vergonha da sua própria voz ou medo de se perder nos assuntos e não ver o tempo passar. Identifique esses e outros aspectos como dicas do que pode ser melhorado e não como problemas.

Ao invés de prometer, na sua proposta de curso, atividades que não poderá realizar, trabalhe com o que você domina e vá se aprimorando ao longo das aulas. 

Revise o seu texto

Revisão de texto é assunto sério por aqui. Entregar um texto sem erros gramaticais, de digitação e bem pontuado é como entregar uma foto profissional do seu curso.

Se você já tem calafrios só de falar em escrever bem, deixe os fantasmas de lado, porque revisão é bem mais simples do que parece. Basta você escrever a sua proposta de curso, deixá-la quieta alguns dias até quase esquecer-se dela e voltar a lê-la em busca do que pode ser melhorado.

Simples, não é? Nada que um pouco de planejamento não resolva.


Você quer ganhar dinheiro ministrando cursos?

Inscreva-se agora e aprenda como conquistar mais alunos, planejar suas aulas, calcular mensalidades e muito mais!


Como fazer uma proposta de curso

Já falamos sobre pensar como jornalistas nesse artigo, hora de retomar o tema. 

Toda matéria de jornal segue uma técnica chamada pirâmide invertida, também conhecida como lead. Nela, o primeiro parágrafo é o texto mais importante de toda a matéria, contendo todas as informações que a notícia quer transmitir.

Para tanto, o primeiro parágrafo responde às seis perguntas básicas: o quê?, quando?, onde?, por quê?, como? e quem?.

Depois de uma breve adaptação, eis a técnica que usamos aqui na Têmpora Criativa. Siga os tópicos e aprenda como fazer uma proposta de curso – em seguida, preencha o formulário com a sua proposta e utilize o nosso espaço colaborativo para realizar o seu curso presencial.

O quê? – Sobre o curso

É o primeiro contato que o leitor – seja ele seu parceiro de negócios ou seu possível aluno – terá com o seu curso. Além do nome do curso, apresente o tema, o que te inspira a realizá-lo e qual problema pretende resolver ao ofertar as aulas.

Limite-se a, no máximo, 200 palavras, distribuídas em dois ou três parágrafos – afinal, não queremos cansar o leitor já na apresentação.

Como? – O que o aluno aprenderá e metodologia das aulas

Descreva, em forma de tópicos, todos os assuntos que serão abordados ao longo do curso e como você pretende fazer isso (quais exercícios, didáticas, leituras, materiais, interações de grupo, etc). 

Seja direto. Escolha tópicos que façam o seu leitor se encantar e transmitam a certeza de que o seu curso resolverá as questões propostas no tópico anterior.

Dica: ao invés de bolinhas, números ou tracinhos, escolha um emoticon para usar como marcador dos tópicos.

Para quem? – para quem o curso é indicado

Em um parágrafo de frases curtas, diga quem pode realizar o seu curso. Se necessário, delimite idade e conhecimentos técnicos prévios.

Quando? – início das aulas e duração do curso

Em frases curtas, diga quando o curso começa, em quais horários e dias da semana ele acontecerá, qual é a carga horária total e o tempo de duração.

Por quê? – o que o aluno ganha ao participar do curso

Esse campo é opcional, mas muito importante para convencer possíveis alunos. Escreva alguns tópicos (de 5 a 10) para apresentar as recompensas que os alunos terão ao participar do seu curso.

Ao deixar claro todos os benefícios que o aluno pode obter com o seu curso, suas chances de reunir mais pessoas dispostas a investir nele aumentam.

Dica: mais uma vez, ao invés de bolinhas, números ou tracinhos, escolha um emoticon para usar como marcador dos tópicos.

Quanto? – o valor do curso

Chegou a hora de contar ao mundo quanto custa para participar do seu curso maravilhoso. 

Depois de analisar alguns fatores como concorrência, investimentos (de tempo, de dinheiro e para estudos), materiais que serão disponibilizados aos alunos, e uma margem de lucro, você chegou ao valor total do curso.

Dependendo do tempo de duração do seu curso, você poderá ou não dividir o valor obtido em parcelas – ou seja, em mensalidades.

Procure sempre deixar claro qual é o valor total, o valor da mensalidade, as formas de pagamento e os descontos que você está disposto a conceder, se for o caso.

É aqui também que você informa quais materiais os alunos precisam ter para participar do curso, se for o caso.

Por quem? – minibiografia do professor

Por fim, mas não menos importante, chegou a hora de se apresentar. Escreva um ou dois parágrafos com no máximo 150 palavras sobre você e a sua experiência relacionada à proposta do seu curso.

Evite focar-se em conquistas relacionadas a área do curso. Se você está propondo um curso de encadernação, por exemplo, ninguém precisa saber que você também é um judoca faixa-preta premiado. Nós somos todos plurais, mas nossa minibiografia não precisa ser.


Você quer ganhar dinheiro ministrando cursos?

Inscreva-se agora e aprenda como conquistar mais alunos, planejar suas aulas, calcular mensalidades e muito mais!


Professores são necessários

Há sempre alguém querendo aprender o que você tem para ensinar. Encontrar alunos pode ser desafiador, mas enquanto você ficar escondido com as suas ideias, tenho certeza de que não os encontrará.

Nós, da Têmpora Criativa, queremos promover encontros entre pessoas que têm algo para ensinar com pessoas que querem aprender. Esperamos que esse artigo tenha te ajudado a clarificar suas ideias e seja uma referência para fazer uma proposta de curso.

Envie-nos a sua proposta

Agora que você já sabe como escrever uma proposta de curso, chegou a hora de você nos enviar a sua proposta. Nós temos três salas equipadas e disponíveis para você ministrar o seu curso.Conheça nosso espaço, nossos valores para locação, preencha o formulário com a sua proposta e transforme a vida das pessoas partilhando o seu conhecimento.

Quer receber drops criativos no seu e-mail?

Veja como é fácil chegar na Têmpora

Confira nossas próximas atividades

Novidades na Têmpora Livraria